Proteção e saúde para a aquicultura

As boas práticas de manejo são essenciais para garantir a produtividade na aquicultura

Manejo aquicultura

Por definição a aquicultura é a ciência que estuda as técnicas de cultivo de organismos aquáticos, indo além de peixes, contemplando também, por exemplo, crustáceos, moluscos, algas e outros organismos. O setor da aquicultura encontra-se em expansão e desempenha papel importante em nosso país.

O professor do Curso a Distância CPT Criação de Peixes – Como Implantar uma Piscicultura, Giovanni Resende, explica que, por ser um setor grande e importante, é preciso que suas técnicas sejam executadas com precisão, para evitar prejuízos financeiros e à população que consume seus produtos.

O surgimento de doenças causadas por bactérias, vírus, fungos ou parasitas sempre causa impactos econômicos na criação. Inclusive, a forma mais comum de infestação e propagação de doenças entre camarões e peixes é quando há associação de dois ou mais desses agentes causadores.

A perda econômica na aquicultura por falta de prevenção e sanidade atinge valores bilionários em todos os estágios da cadeia produtiva. Ao longo dos anos, o surgimento de várias doenças tem preocupado os produtores, como é o caso da Síndrome do Vírus da Mancha Branca, que produziu perda de mais de US$15 bilhões até o ano de 2012.

Por conta disso, adotar boas práticas de manejo é uma medida essencial para garantir equilíbrio e conforto ambiental. Em muitos locais de produção, elas são negligenciadas e, em alguns casos, trocadas por outras que não produzem os efeitos necessários.

Em nosso país, é possível destacar que o cultivo é feito de forma reativa, isto é, produtores estão mais preparados para tratar as doenças após seu surgimento e propagação em seus peixes do que para preveni-las utilizando medidas sistemáticas. E a adoção desse método reativo vai na contramão das boas práticas de manejo.

As boas práticas de manejo na aquicultura têm como principais objetivos:

- Garantir eficiência produtiva e segurança da criação;
- Manter condições sanitárias, com a finalidade de obter melhor desempenho produtivo dos peixes;
- Usar recursos de forma consciente, com a água, alimentos e insumos;
- Atender às demandas dos consumidores.

A água

O ambiente necessário à aquicultura é a água. Logo, fica fácil notar que ela possui grande importância para o sucesso da atividade. Além do uso eficiente, garantido pelas boas práticas de manejo, é preciso que ela apresente boa qualidade para os animais. É dela que eles tirarão o oxigênio, consumo que varia de acordo com a temperatura da água, o tamanho do peixe, entre outros fatores.

Dentre outros fatores, a escolha da melhor espécie a ser cultivada também está diretamente ligada às boas práticas de manejo, uma vez que faz-se vital cultivar espécies que consigam se adaptar às condições climáticas e características do local de cultivo, o que evitará a perda de peixes e terá impacto direto nos custos de produção e na produtividade.

Também é preciso pensar na alimentação. Diariamente os peixes precisam receber quantidades adequadas, de acordo com o percentual de sua biomassa e outros fatores. A frequência com que o alimento é oferecido também é importante.



Conheça os Cursos a Distância CPT da Área Criação de Peixes:

Criação de Peixes – Como Implantar uma Piscicultura
Produção de Alevinos
Nutrição e Alimentação de Peixes

Fontes: Aquaculture Brasil – aquaculturebrasil.com
Loja Sansuy – lojasansuyblog.com.br
Embrapa – embrapa.br
por Renato Rodrigues

Renato Rodrigues 06-07-2019

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.