O mercado de exportação de peixes no Brasil

Ao mesmo tempo em que a piscicultura brasileira se expande, as importações também vêm ganhando força

Piscicultura - Imagem ilustrativa

Ana Dell Isola, professora do Curso CPT Processamento Artesanal de Pescado, destaca que a tendência atual da procura por alimentos saudáveis, de baixas calorias, e o aumento crescente do consumo de carne branca colocam o peixe em destaque como detentor da carne ideal para a mesa dos brasileiros.

A perceptível expansão da atividade piscicultora ao longo dos anos permitiu que os criadores vissem o mercado a partir de novas perspectivas. As criações com objetivo comercial se multiplicaram e, hoje, dados apontam que a piscicultura é uma das principais atividades para a economia brasileira.

A exportação dos peixes criados aqui também acompanhou esse crescimento, garantindo bons resultados para os piscicultores. A seguir, apresentamos um panorama geral da exportação de peixes no Brasil:

Como funciona a exportação de peixes brasileiros?

Ainda que a exportação tenha crescido, nosso país possui potencial para ir muito mais além, haja vista nossas condições climáticas e a extensão do nosso território. A nossa produção visa atender tanto a demanda interna, que só aumenta, como a externa, dado que os principais países exportadores de pescado vêm enfrentando alguns problemas que afetaram sua estabilidade.

EUA, Chile e China são os três melhores compradores dos nossos produtos, que têm como Mato Grosso do Sul e Santa Catarina como seus principais exportadores. A tilápia continua sendo a espécie com maior potencial na piscicultura brasileira, impulsionada pela facilidade de manejo que apresentam para serem criadas e comercializadas.

Entretanto, ainda que o mercado esteja favorável, não basta investir na criação de uma ou outra espécie para garantir o sucesso: é necessário dar atenção a todos os aspectos que envolvem a criação de peixes para que os bons resultados venham.

Panorama da exportação de peixes

Em relação aos tipos de produtos mais exportados, destacam-se as categorias da proteína congelada, além de óleos e gorduras, que se tornaram extremamente viáveis economicamente. Também, os filés congelados possuem lugar de destaque em se tratando de exportação.

Dados apontam um faturamento superior a US$ 2 milhões no segundo trimestre do ano passado, com a tilápia destacando-se mais uma vez e com a ascensão do tambaqui e da dourada.

Quando analisamos os três países que mais importam o pescado brasileiro, a diferença entre eles é clara: os EUA importam, principalmente, filés de peixe; o Chile, por sua vez, investe na importação de óleos e gorduras; enquanto a China “gasta” quase todo seu dinheiro com subprodutos.

Tendências para a exportação de peixes

- Mercado de tilápia

Falar em piscicultura brasileira e não mencionar a tilápia é quase impossível. Em relação às exportações, há um grande mercado para esse peixe, que vem sendo cada vez mais procurado devido à sua qualidade.

- Carne de lambari

O lambari se tornou uma das espécies em ascensão no cenário piscicultor brasileiro, pois rende muito mais do que espécies “famosas”, como o pacu e a própria tilápia. Os resultados obtidos com a criação desse peixe têm sido satisfatórios.

- Criação de pacu

A fácil adaptabilidade do pacu às condições de que nosso país dispõe também tem colocado o pacu como uma das criações mais promissoras. O peixe possui hábito alimentar que favorece a utilização de rações industrializadas, além de apresentar manejo simplificado.

 


Conheça os Cursos CPT da Área Criação de Peixes:

Processamento Artesanal de Pescado
Técnicas de Processamento de Peixes
Criação Comercial de Surubim

Fonte: Blog Sansuy – blog.lojasansuy.com.br
por Renato Rodrigues

Renato Rodrigues 21-01-2021

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.