Cultivo de tilápias junto com camarões? Será que dá certo?

O cultivo de tilápia nilótica apresenta características que favorecem o policultivo com camarões de água doce

Cultivo de tilápias junto com camarões? Será que dá certo?

O policultivo consiste na criação simultânea de duas ou mais espécies aquáticas em um mesmo viveiro com o objetivo de maximizar a produção, utilizando organismos com diferentes hábitos alimentares e distribuição espacial. Representa a eficiente ocupação do espaço físico e dos diferentes nichos alimentares dos viveiros.

O policultivo de camarões de água doce pode ser realizado com algumas espécies de peixes, proporcionando aumento da produtividade e rentabilidade dos empreendimentos aquícolas, com um pequeno gasto adicional e com ganhos ambientais.

O cultivo de tilápia nilótica apresenta características que favorecem o policultivo com camarões de água doce. As duas espécies exigem temperaturas similares para atingir alta produtividade, podem alcançar o tamanho de comercialização próximo de cinco meses, toleram águas de baixa qualidade e apresentam poucos problemas com doenças.

As tilápias ocupam a coluna d’água, explorando pouco o fundo, enquanto os camarões ocupam apenas o extrato bentônico dos viveiros. Além disso, no monocultivo de tilápias, pode haver deposição significativa de detritos no fundo, que serão lançados no ambiente. As fezes das tilápias e os resíduos de ração que iriam se constituir em poluição ambiental no monocultivo, podem transformar-se em biomassa de alto valor econômico no policultivo.

A ração é fornecida apenas para as tilápias, sendo que os camarões irão comer as fezes dos peixes e os resíduos de ração. Ao final de 5 a 6 meses realiza-se a despesca total das duas espécies.

Obtém-se uma produção de tilápias equivalente ao que seria obtido no monocultivo, realizado em condições semelhantes, e uma produção adicional de 400 kg a 800 kg de camarões com peso médio de 20 g a 35 g. Esse desempenho pode ser bastante melhorado com a estocagem de juvenis gradeados.

Gostou da matéria? Quer saber mais sobre o Curso CPT? Assista ao vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da Área Piscicultura

Por Daniela Guimarães.

Daniela Aparecida Guimarães Lopes 15-03-2023

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.