Criação de peixe Panga tem crescido no Brasil. Conheça a espécie

O pangasius, de nome popular panga, tornou-se uma boa aposta para a piscicultura brasileira

Peixe Panga

Panga é o nome popular dado ao Pangasius, espécie que caiu no gosto dos consumidores e se tornou uma grande aposta para a piscicultura brasileira. Além de possuir criação fácil e rentável, esse peixe ainda rende até 50% de filés e possui mercado já consolidado em nosso país.

Giovanni Resende, professor do Curso CPT Criação de Peixes – Como Implantar uma Piscicultura, explica que, apesar da facilidade para criação, os piscicultores precisam dedicar atenção aos vários aspectos que envolvem a criação do peixe panga para garantirem uma criação de sucesso.

Origem

O panga é um peixe originário do Vietnã, país que detém a maior parcela de exportação da espécie no mundo. Estima-se que o peixe seja cultivado há mais de mil anos ao longo do rio Mekong, que está localizado em uma bacia com grande diversidade de espécies, que é a segunda maior em biodiversidade, perdendo apenas para a bacia amazônica.

Principais características do panga

Assim como o bagre, o panga é um peixe de couro, isto é, não possui escamas. É um peixe de água doce e possui hábito alimentar onívoro, ou seja, alimenta-se de diferentes classes de alimentos, como algas, plânctons e outros peixes. Em cativeiro, pode chegar a até 3kg e 1,30m de comprimento. Ainda, é da ordem dos Siluriformes e possui expectativa de vida superior a 20 anos.

É uma espécie pacífica e pode ser criada com outras espécies, mas pode comer peixes que possuam tamanho muito menor do que o seu. Além disso, possui atividade constante e, mas se sente ameaçado com espécies agressivas ou agitadas.

Alimentação

Como dito, é um peixe onívoro e se alimenta, na natureza, de peixes, crustáceos e restos vegetais. Por consequência desse hábito, em cativeiro esse peixe se alimenta de praticamente tudo o que for oferecido a ele. Para bom desenvolvimento, deve-se fornecer rações balanceadas e adequadas para cada fase da vida em que se encontram

Reprodução

É um peixe ovíparo e sua reprodução acontece naturalmente quando ele se move rio acima para desovar durante o final da primavera e verão, condição impossível na criação em cativeiro. As fêmeas se diferenciam do macho por serem supostamente mais corpulentas e possuírem padrões mais claros. Contudo, as diferenças entre os dois são praticamente imperceptíveis.

Produção de panga no Brasil

Ainda que seja uma espécie promissora para a piscicultura brasileira, seu cultivo ainda é “novidade” em nosso país. Atualmente, São Paulo é o único estado que possui autorização para criá-lo.

Contudo, outros estados também possuem interesse na criação. A facilidade deve-se ao fato de que pode ser criado em viveiros naturais escavados, tanques de alvenaria, concreto, argamassa armada e tanques de lona suspensos e sua produção tem alcançado média de 25 toneladas por hectare de pescado.

Consumo do panga

O peixe possui carne de textura firme, sabor suave e não possui espinhas, o que garante sua versatilidade para uso em diversas receitas. Pode ser grelhado, frito, assado ou ensopado, o que garante sua popularidade.

 


Conheça os Cursos CPT da Área Criação de Peixes:

Criação de Peixes – Como Implantar uma Piscicultura
Nutrição e Alimentação de Peixes
Produção de Alevinos

Fontes: Colpani Piscicultura – grupoaguasclaras.com.br
Blog Loja Sansuy – blog.lojasansuy.com.br
Canal Rural – canalrural.com.br
por Renato Rodrigues

Renato Rodrigues 12-06-2020

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.