Comportamento de peixes no inverno

No inverno os peixes deixam de ser ativos e comem menos

Peixe - imagem meramente ilustrativa

Na época mais fria do ano, nós não somos os únicos a sentir a mudança da temperatura. Os peixes também sentem o clima mais frio e, por consequência, seu comportamento muda. Desde o início de maio até setembro, e época fria diminui a temperatura das águas e provoca uma redução no nível de atividade dos peixes.

O professor do Curso a Distância CPT Nutrição e Alimentação de Peixes, Giovanni Resende, explica que nesse período é preciso redobrar o cuidado para que essa mudança no comportamento deles não afete seu desenvolvimento produtivo.

Como o comportamento muda?

Peixes são espécies de sangue frio. Por consequência, sua temperatura corporal varia de acordo com a temperatura do ambiente. No calor, os peixes estão muito mais ativos e se alimentam constantemente. Porém, nas épocas mais frias, com águas mais frias, os peixes também têm a temperatura corporal menor, o que provoca uma redução das atividades corporais.

Isso acaba fazendo com que o metabolismo do peixe diminua, comendo menos, crescendo menos, se movimentando menos e podendo inclusive morrer dependendo da temperatura da água, que é ideal de 24°C a 28°C.

Ainda, outro ponto agravante é que, como os peixes estão com o metabolismo desacelerado, o manejo pode causar estresse e, também, machucados, que se tornam porta de entrada para parasitas como fungos e bactérias. Isso se torna grave pois a sua imunidade também está comprometida, devido ao metabolismo desacelerado, o que pode levá-lo a óbito.

Ainda, a imunidade também pode baixar quando há superlotação e má qualidade da água nos tanques, o que deixa os peixes mais estressados e provoca redução na imunidade deles. Esse problema pode ocorrer em qualquer fase da criação, mas é pior na época mais fria do ano.

Peixes de boa procedência e bem alimentados tendem a sofrer menos com a mudança na temperatura.

Alimentação

Já é do conhecimento de todos que a quantidade e frequência de alimentos oferecidos aos peixes são fatores crucias para o sucesso da criação e dependem diretamente da espécie cultivada, da fase da criação e do tamanho dos peixes, entre outros.

A ração extrusada, isto é, aquela que flutua, deve ser substituída pela peletizada na época do frio, o que evitará que os peixes precisem subir para a superfície ou até que fiquem sem alimento.

A quantidade oferecida também deve ser menor, uma vez que, como dito, com o metabolismo desacelerado, os peixes comem menos. Isso também tem influência direto nos custos da produção, dado que a maior parte dos custos da criação deve-se à alimentação.

A água

Além da temperatura, a qualidade da água deve ser mantida. Alcalinidade, dureza, pH e teor de oxigênio dissolvido devem estar adequados, além da quantidade de amônia presente, que deve ser zero. Isso facilitará o cuidado com os peixes em épocas mais frias.



Conheça os Cursos a Distância CPT da Área Criação de Peixes:

Nutrição e Alimentação de Peixes
Criação de Peixes – Como Implantar uma Piscicultura
Produção de Alevinos

Fontes: Blog Recolast – recolastambiental.com.br
Bonde Economia – bonde.com.br/economia/
Colpani – grupoaguasclaras.com.br
por Renato Rodrigues

Renato Rodrigues 06-07-2019

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.